EAD X Ensino Presencial. Qual o melhor?

Ensino a distancia é melhor que ensino presencial? Qual é melhor? ensino a distancia ou ensino presencial? O ensino presencial tem pontos positivos assim como o ensino a distancia. O ensino a distancia (EAD) tem as vantagens do conforto do lar para estudar. Na globalead você encontra ensino a distancia!

Em 2008 eu comecei a trabalhar com EAD, mas confesso que se tivesse que escolher entre um curso presencial e um online, naquela época, minha escolha seria o presencial.  Eu achava que o curso online não exigia o suficiente e que os alunos ficavam largados.  Também acreditava que o mercado estava cheio de caça níqueis.

Dito e feito.  Fiz dois cursos presenciais e longos, um deles aos sábados e o outro durante a semana, às 19h.

No curso noturno de Java percebi que a turma era muito grande.  Até que começava pontualmente, mas eu precisava me deslocar até o curso num trajeto de 40 minutos.  A volta pra casa era sacrificante: 22:00.  Compreendi que muitos colegas de classe adoravam falar de futebol ou outra coisa qualquer.  Foi estressante, mas a interação entre os alunos me resultou num emprego, que eu acabei recusando logo depois.  Quanto ao curso do sábado foi um fiasco completo.  Eu era o único coitado que chegava as 8:00 e a aula só começava as 9:45.  Na única aula que não queria perder acabei faltando e não teve como repor o que eu precisava.

Alguns anos depois fiz alguns cursos online.  A primeira diferença é que eu não saí de casa para estudar. Apenas liguei o computador.  Às 22:00, quando a aula acabava, eu estava exausto, mas apenas desliguei minha máquina.  O curso era dinâmico, quase tenso porque fui cobrado.  Havia um tutor online e o modelo de EAD era síncrono.  Pouco papo paralelo, pois só o professor falava. Quem queria falar bobeira podia usar o chat, sem atrapalhar os colegas.  No dia que faltei apenas peguei a gravação da aula e segui o chat. Anotei tudo que precisava num pequeno resumo e tirava minhas dúvidas por e-mail ou durante a aula mesmo. Foi um curso de Linux e eu aproveitei muito bem.  O custo não foi tão barato, mas não se comparou ao curso presencial.  Infelizmente não apareceu trabalho.  Ou será que foi felizmente? Nunca vou saber. Deus o sabe e Ele tem construído meu caminho até aqui.

Então chega a pergunta: qual é o melhor?  Eu respondo o seguinte: “não importa”. Depende de cada um.  Eu tenho 40 anos e me considero maduro para o aprendizado online.  No entanto, há pessoas que não tem este perfil e nem tem disciplina para este modelo de aprendizagem, logo a melhor resposta para qual modelo seguir é esta:

“Você é quem tem que decidir”.

Abraço!

Related Posts

10 comments

  • Erika Cristina dos Santos

    Erika Cristina dos Santos

    Responder

    Concordo plenamente com a opinião do Alessandro em relação a melhor modalidade de ensino.
    É claro que nem toda pessoa tem esse perfil, como alguns colegas meus, de uma pós que fiz a pouco tempo na modalidade semipresencial. Segundo eles, embora nunca tenham feito um curso na modalidade a distância, sem conhecimento, diziam que é monótona, não tem interação e como o próprio Alessandro disse, se sentiriam largados, além de que precisam ser “cobrados” para entrega dos trabalhos.
    Realmente, há pessoas que não conseguem se adaptar a essa modalidade, pois precisam ser muito determinadas e organizadas para administrar seu tempo. É necessário ter maturidade, por essa razão que a maioria dos alunos que procuram essa modalidade são adultos, com faixa etária a partir dos 30 anos, pois estes já têm experiência consolidada de aprendizagem individual e de pesquisa, além é claro, de poder acessar o conteúdo e deixar mensagens no fórum a hora que quiser, sem precisar se deslocar.
    Àqueles que ainda tem dúvidas em relação à modalidade EaD, fica um recadinho:
    a EAD é a modalidade de ensino do momento e que veio para enfrentar barreiras, preconceitos e paradigmas na Educação. Aposte nessa modalidade. Eu mesma já tive o prazer de me atualizar fazendo cursos rápidos totalmente on line. E garanto, foi de grande valia.
    Lendo a experiência do Alessandro, também tive a impressão que no curso EAD tive melhor aproveitamento que a modalidade tradicional: a presencial. Mas nada contra.
    Cada um tem um jeito de estudar e aprender, cabe você avaliar.

    Até mais.
    Erika

  • Jefferson Candido dos Reis

    Jefferson Candido dos Reis

    Responder

    Olá amigos…
    O EAD realmente é um paradigma a ser quebrado; curso uma pós graduação nessa modalidade e, confesso, inicialmente tive um certo receio que a qualidade não seria satisfatória, porém, com o desenvolvimento do curso, percebi que a aprendizagem é muito eficiente pois as atividades desenvolvidas requerem muito empenho e dedicação do aluno. Hoje sou defensor da modalidade que, em minha opinião, em muitos casos e com esforço do aluno, em NADA deixa a desejar ao ensino presencial.

  • Josemar Vaz Garcia

    Encontrei este blog e apreciei a experiência do Alesandro e suas considerações.
    Sobre o assunto, creio que devemos trablhar para a quebra gradativa do preconceito que existe ou persiste sobre EaD no Brasil.
    A experiência tem mostrado que todos os modelos são não somente válidos como necessários. Considerando as realidades, especialmente ligadas a questão geográfica de residência de algumas pessoas e o tempo disponível, o modelo EaD oferece grande potencial de possibilidades e de atendimento, a despeito das limitações. Por esta razão, tenho acreditado que este é um modelo que não mais retrocederá, pelo contrário, vai crescer cada vez mais.
    Parabéns ao Alessandro pela contribuição na área e obrigado por suas considerações.

  • Oriana Martins

    Oriana Martins

    Responder

    Acredito que mesmo com toda a resistência ao ead, essa ferramenta veio para ficar e estará cada vez mais próxima, mesmo de quem tem hoje alguma resistencia.

  • Janaína Millon

    Janaína Millon

    Responder

    Penso que a escolha em relação a modalidade de ensino, seja como colocou o Alessandro: cada um irá escolher a modalidade a qual melhor se adequa.
    Cada pessoa tem um perfil diferente e isso irá influenciar nessa escolha. Também fiz uma faculdade e uma especialização na modalidade presencial, além de estar cursando a segunda faculdade também no presencial, contudo, só a realizo no presencial por não haver tal curso no EAD.
    Sou aluna EAD do curso de Metodologias e Gestão para Educação a Distância, e também atuo como profa tutora presencial. Ao ter contato com o EAD, pude ver que a qualidade de ensino não é pior que no presencial, como muitas pessoas pensam, além disso, há a vantagem da flexibilidade de horário, o que facilita muito para que uma pessoa que não tem horário disponível para estar no presencial, poder continuar se atualizando.
    A escolha da modalidade deve ser bem pensada pelo aluno, uma vez que requer muito estudo, muite empenho do aluno e, acima de tudo, disciplina. No meu caso, o EAD surge como uma excelente opção de continuar me aprimorando.

  • Sthefany Caroline Bezerra da Cruz Silva

    Sthefany Caroline Bezerra da Cruz Silva

    Responder

    Concordo com Alessandro, a escolha é pessoal.
    A palavra chave da EAD é AUTONOMIA. Antes de decidir qual é o melhor pra nós, devemos avaliar se nós estamos preparados para a EAD. Devemos refletir se temos autonomia suficiente. Devemos também avaliar a se a metodologia, totalmente a distância ou semipresencial, atende a nossa necessidade e se encaixa na nossa rotina. Por exemplo: nada adianta escolhermos um curso a distância, na modalidade semipresencial, por não ter tempo de fazer um presencial, se temos que nos deslocar para um polo longe de casa. Isso deixa a EAD cansativa.
    É necessário também avaliar a credibilidade da instituição que está oferecendo, tentar conversar com alunos de lá, saber se eles tem total apoio, ou se sentem largados.

    Bom, EAD não é pra todos, e nem todos que oferecem oferecem com qualidade.
    É preciso avaliar muito.

  • Edmundo Rodrigues Rosa

    Edmundo Rodrigues Rosa

    Responder

    Com o Ensino à Distância , o estudante tem a capacidade de administrar o seu estudo, podendo conciliar trabalho , estudo e condição financeira. O cuidado que temos de ter com os cursos EAD é com um planejamento que facilite o estudo e o torna mais dinâmico, conseguindo fracionar o seu tempo para que o estudo se proveitoso.
    Em EAD, o professor adquire um status diferente , ele não é o professor e sim um orientador apenas. É necessário um ritmo e uma concentração muito maior no EAD do que no presencial pois, em geral, o aluno de EAD estuda em casa e com todas as comodidades que o ambiente familiar oferece, a distração se torna um perigo importante para a aquisição do conhecimento .

    Ainda assim, ela é uma opção favorável a quem não possui tempo disponível, o desafio agora nâo é saber qual destes modelos é o melhor e sim observar qual dos modelos e mais conveniente ao seu estilo de vida.

  • Janaína Millon

    Janaína Millon

    Responder

    Concordo com o que foi colocado pela Sthefany Caroline Bezerra da Cruz Silva. Para se optar por uma modalidade de ensino, é preciso conhecer antes tudo o que envolvido em cada uma. No EAD a autonomia, de fato, é algo importantíssimo e o aluno será o co-responsável pelo seu processo de ensino-aprendizagem.
    Outro ponto é que realemente é importante conhecer a instituição, antes de ingressar nela, conversar com os alunos que já estudam lá, conhecer mais sobre como os cursos são oferecidos, a credibilidade da isntituição e, se informar sobre como funciona um curso na modalidade de ensino a distância.

  • Rosangela Ap. Reis Machado

    A EaD apresenta-se hoje como uma modalidade de educação repleta de potencialidades e de desafios, capaz de ultrapassar os limites de espaço e tempo na medida em que, ao envolver diferentes meios de comunicação, torna possível o acesso a diversas fontes de informação promovendo a autonomia do aprendiz por meio do estudo flexível e independente. Entretanto também é uma modalidade que requer novas competências, atitudes e conhecimentos tanto dos estudantes como dos professores. ENSINO PRESENCIAL OU EAD- A OPÇÃO DEVE SER DO ALUNO.

  • Tânia

    Olá Alessandro
    Creio que todas as colocações aqui são pertinentes e salutares. O Brasil ainda tem muito que crescer no campo da EAD, algo que é comum na Europa e EUA, onde muitos jovens crescem disciplinados nessa modalidade, ja que é comum o “High School”.
    Fiz uma pós algum tempo atrás no exterior, onde parte da minha orientação era recebida de forma pessoal online, outras vezes em grupo sincrona e com utilização de web cam. Ou seja, uma realidade que não se vê aqui no Brasil. Mas de qualquer forma, o curso EAD requer maturidade e vontade do aluno em ser o construtor do seu próprio conhecimento (co-responsabilidade como disse a Janaína) e para isso, é como a Rosangela disse, necessário as atitudes do estudande que deve ser em primeiro lugar o maior interessado.

Leave your reply

*" value="" aria-required='true' />
*" value="" aria-required='true' />