Programador: o que fazer quando pegar um sistema feito por outro sem documentação?

No início da década de 90, quando ainda era garoto, entrei numa empresa enorme com uma horda de programadores/analistas. Eles se chamavam de “programalistas” porque faziam as funções de programadores e de analistas.  Uns tinham graduação e outros não, mas todos tinham profundo conhecimento e estavam na empresa havia muitos anos.

De pronto peguei um sistema complexo feito em COBOL / CSP . Mas tudo ocorreu bem.  Havia um programador sênior que dominava o negócio e cá entre nós: COBOL é sinistro. Aquilo rodava que era uma beleza num antigo mainframe VM 380 da IBM. Deve funcionar até hoje, não duvido!

Em 2006 eu já não tive a mesma sorte.  Peguei um sistema feito por 2 programadores super cascudos, porém sem documentação farta.  Infelizmente eu não tinha grande conhecimento da linguagem, o que piorou um pouco as coisas.  No entanto… Posso dizer que aprendi muitíssimo com esta experiência, embora tenha sido uma das mais traumáticas em termos profissionais que eu já passei.

Agora, em 2012, bem mais experiente, estou atravessando a mesma situação: encarando um sistema feito por um programador cascudo.  Nada de documentação.  Agora me sinto mais velho e compreendo que apesar do temor que é pegar algo novo e desconhecido estou diante de uma oportunidade.  Ímpar.

É a melhor chance de aprender novas experiências, novas maneiras de enxergar os mesmos problemas e de (por que não?) ser uma pessoa melhor.  Melhor porque entendo que podem ter havido mil e uma razões para não haver documentação farta do sistema.  Não sei dizer se houve discussões, brigas, desentendimentos que levaram o profissional a pular fora do barco sem dizer adeus.

Nos últimos dois anos (2011 e 2012) pedi demissão de duas empresas (trabalhava em duas jornadas de trabalho).

E este é o conselho que dou aqueles que estão pegando um serviço de terceiros e está achando que pegou uma bomba:

Peça pra Jesus Sabedoria.  Se pegou o serviço e aceitou, aproveite para aprender o máximo possível com aquele emaranhado de códigos que parecem não ter sentido e que poderia ter sido escrito de outra forma.  Não murmure. É uma dádiva. Mesmo que não aprenda nada da linguagem e de sua profissão (o que é quase impossível) alguma coisa você vai aprender.

Nem que leve 10 anos para você entender.

Alessandro Marlos
Engenheiro de T.I.
Desenvolvedor de sistemas de ensino a distância
http://www.globalead.com.br

 

Related Posts

0 comments

Leave your reply

*" value="" aria-required='true' />
*" value="" aria-required='true' />