O Perfil do profissional de EAD. Trabalhar em home office: coisas que ninguém diz.

Comecei a trabalhar sob o regime à distância para algumas empresas em 2006 e vivenciei muitas coisas boas e ruins ao longo destes anos todos.  Confesso que este planejamento estava distante do meu desejo inicial, mas não sou eu quem traça meus rumos.

Antes do início desta experiência (que perdura até hoje) eu morava a 55km do trabalho.  O trânsito era horrível e demorava 1h e 30m para chegar ao destino.  Percebi que esta idéia de morar longe do trabalho era ruim e me mudei para um lugar mais próximo, porém em um endereço menos nobre. A idéia foi evoluindo e percebi que as despesas com um escritório eram desnecessárias para o meu modelo de negócio, pois eu poderia trabalhar em qualquer lugar desde que tivesse internet e um computador.

Trabalhar em casa te afasta da conversa do corredor na empresa.  Te deixa longe da perda de tempo. Pode deixar seu trabalho mais produtivo, pelo menos por certo tempo.

Home office exige amadurecimento e bastante disciplina; saber o que fazer e quando, sem que ninguém te diga o que fazer.  É tarefa que um estagiário dificilmente poderia exercer.

Estar fisicamente afastado da empresa tem significado diferente de sua mente estar desligada do que acontece lá. É muito  mais fácil ser demitido sendo um funcionário home-office do que um trabalhador normal, pois a presença física produz laços.  Estes laços demorarão mais para se formar estando longe de quem te paga, acredite.

Permanecendo mais em sua residência te aproxima da carga de problemas pessoais, por mais competente que você pensa ser. É complexo se manter atualizado: é um fato danoso do isolamento.  O conforto do lar não te livra de problemas por excesso de trabalho como o burn-out.

Mas…

Sei o que é ver meus filhos a cada minuto que eu desejar.

Salve Jesus.

Related Posts

0 comments

Leave your reply

*" value="" aria-required='true' />
*" value="" aria-required='true' />