Como deve ser a estrutura de um Curso Preparatório OnLine?

Para aqueles que querem ser donos de um curso on line, seja preparatório para concursos ou, quem sabe, apenas cursos in company em empresas, vale a dica: consulte um profissional antes.

Quem pensa em montar um curso on line ouve falar em Moodle e crê que já é o suficiente.

Absurdo.

Primeiro porque até o processo pedagógico de um curso on-line é diferente do curso presencial.  Os cursos on line tem subdivisões: assíncrono e síncrono; o tipo de material a ser ofertado aos alunos também é diferenciado; e o que dizer dos vídeos e os processos de conversão, armazenagem e proteção? Uma vez pronta a estrutura, como vender?  Todos estes detalhes são interessantes, mas nada pode ser mais importante que uma coisa:

A equipe com experiência de mercado e maturidade para organizar tudo isso.

Consultoria EAD de Alessandro Marlos on GlobalEAD – Consultoria EAD – Consultoria em Ensino a Distância.

Related Posts

8 comments

  • Erika Cristina dos Santos

    Erika Cristina dos Santos

    Responder

    Preparar um curso na modalidade EaD exige muito planejamento e não é tão simples como muitos pensam. É necessário traçar uma proposta pedagógica, com objetivo definido, público alvo, carga horária, conteúdo programático com as disciplinas (caso seja um curso de pós ou graduação), como interagir com os alunos, como será criado o ambiente virtual de aprendizagem, além da equipe que trabalha por trás dos bastidores, que basicamente é composta por profissionais de diversas áreas -TI para suporte tecnológico; acadêmico e pedagógico para produzir materiais e serviços de apoio na execução de serviços; logístico, no que tange à coordenação dos polos (presencial e a distância) e suporte para produção de mídias para produzir vídeos e materiais complementares de Ead.
    Ufa!!! Quanta coisa a se pensar não?
    E esse é só o começo. É preciso também refletir como será desenvolvido o ambiente virtual de aprendizagem, o sistema de avaliação e é claro, o papel do educador, que na EAD, atua como tutor, profissional este que tem o importante papel de assegurar um clima motivacional no Ambiente Virtual de Aprendizagem, verificando a freqüência dos alunos, ajudá-los a superar as dificuldades e compartilhar experiências e informações.
    Uma equipe multidisciplinar para um mercado que vem crescendo e abrindo oportunidades na educação.

  • Alessandro Marlos

    É grande o conhecimento da Erika Cristina em EAD. Cita os polos, que normalmente são peças utilizadas em pós graduações online. Da mesma forma aborda pontos importantes na relação ambiente virtual de aprendizagem / tutor: motivação e frequência dos alunos.

  • Janaína Millon

    Janaína Millon

    Responder

    De fato! Montar e estruturar um curso EAD não é tão fácil quanto parece. O EAD é uma modalidade de ensino diferente da presencial e, portanto, deve ser repensada de outra maneira. Como bem colocou a Erika, muitos fatores devem ser levados em consideração. Além da questão da proposta pedagógica, é necessário se planejar com cuidado toda a estrutura que envolve um curso EAD, desde o sistema de ambiente virtual (moodle), até tutotes, coordenadores, enfim.
    Cada curso deve ser pensado e estruturado de acordo com suas demandas e necessidades, não só dos alunos como também dos docentes e equipe. Para isso, é importante levar em conta diversos fatores como estrutura física da instituição, infra-estrutura tecnológica, público alvo, carga horária, as atribuições de cada um e cada setor, quantidade de alunos, dentre outros.
    Além disso, é preciso que os profissinais envolvidos, estejam preparados para solucionar as dúvidas dos alunos quanto a modalidade de ensino, a utilização do ambiente virtual, enfim.
    Portanto, como bem colocou Alessandro, não é tão simples oferecer um curso EAD, é importante se ter um sistema moodle eficiente, de acordo com as necessidades de cada instituição, um planejamento detalhado, profissionais preparados e qualificados.

  • Alessandro Marlos

    Concordo com os comentários, o que prova que EAD está começando a ser levado a sério, apresentando sinais de amadurecimento e corpo sólido. Embora talvez eu, como desenvolvedor, prefira sistemas de ambiente virtual proprietários, diferentes do Moodle.

  • Janaína Millon

    Janaína Millon

    Responder

    Boa noite Alessandro, em minha experiência tanto como aluna, quanto como tutora presencial tive acesso ao moodle. Não tenho muito conhecimento sobre sobre ambiente virtual proprietários. Você poderia falar brevemente sobre?
    Obrigada!

  • Alessandro Marlos

    Boa noite Janaína e amigos. Vou fazer alguns posts comparativos entre alguns sistemas de ensino a distância proprietários que conheço!

  • Rosangela Ap. dos Reis Machado

    Ao pensarmos na implantação de um curso de EaD é necessário quatro passos ne: o primeiro passo é diagnosticar as necessidades reais de implantação do curso para a comunidade específica; o segundo corresponde ao curso em si: definições da matriz, objetivos, organização administrativa e pedagógica, outro fator que deve ser contemplado pelo projeto são os recursos educacionais: design instrucional, ambiente de aprendizagem, corpo docente e de tutores; esta segunda etapa corresponde à definição daquilo que será produzido, implantado e avaliado. O terceiro passo é o início da execução do projeto: a produção, momento do processo operacional, prazos, planilhas e acompanhamentos imperam nesta fase. Ao cumprir a etapa de produção, o quarto passo corresponde à implementação do curso, ou seja, fazer o curso funcionar. Para que isso aconteça, a infraestrutura deve estar pronta, testada e em funcionamento, isso exige uma equipe competente em tecnologia da informação, com gestores capazes de executar as atividades didáticas e administrativas. Além da competência, as equipes precisam de integração.

Leave your reply

*" value="" aria-required='true' />
*" value="" aria-required='true' />